sexta-feira, 16 de abril de 2010

Languido espaço tempo
Onde o inverno dura um ano
E o verão menos que o pensar
De lembrar esforço faço para não
De querer suplico para o não ter.
Olho pela janela e vejo um mundo
Ao qual não quero pertencer

4 comentários:

Borboleta de asas magoadas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Borboleta de asas magoadas disse...

Oi, Barqueiro!

Adorei os comentários... Que bom que você gostou do blog! É claro que você pode publicar sim, sem problema! Só que agora fiquei meio sem graça... você, tão educadamente me pedindo autorização enquanto eu, bem intrometida, encontrei seu blog por acaso, li seus textos, gostei... me identifiquei... e já saí comentando sem sequer te conhecer ou me identificar... Desculpa por isso, tá! ;)
Meu email é vandavoliveira@yahoo.com.br
Um abraço!

P.S.: Ah! uma curiosidade feminina: qual é o texto que você quer publicar???

Carol disse...

Tem momentos que não queremos pertencer a nada, a ninguem, a lugar nenhum.
Lembre -se que estou aqui sempre torcendo por vc e te adorando a cada dia.

Beijos ....

Borboleta de asas magoadas disse...

Esqueci de dizer que este texto, como o anterior, me cai muito bem... vou "usá-lo" num próximo post, tá?!
'té mais...