segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

O Velho e o Novo

Desde então procuro descançar fatos, aqui sentado à mesa da sala, à hora em que os grilos cantam e a folhagem dos bambus se tingem de preto. Reflito
As vezes entro pela noite, passo tempo sem fim acordando lembraças. outras vezes me ajeito com essa ocupação nova
Por isso cancei deste nao findar. Por que sei que nao há fim, mesmo o querendo. Ainda mais quero o recomeçar. Posto que o recomeçar sempre o novo traz e com o influxo do novo o velho se debate, agoniza pondo a coragem a prova.
Então lhe proponho o novo que muito do velho tem, contudo deverás novo é.

Nenhum comentário: